Autor Tópico: Noturnas - rastros de estrelas  (Lida 2779 vezes)

SimpleGuy

  • Trade Count: (0)
  • Novato(a)
  • Mensagens: 21
  • Sexo: Masculino
    • As Belezas do Céu
Online: 09 de Outubro de 2007, 22:26:46
Olá pessoal! Exposições longas do céu noturno com a câmera fixa sempre me fascinaram. A primeira foto foi tirada com filme negativo em Gramado e é uma exposição de 40 minutos; a segunda também foi com filme negativo, num lugar perto de Curitiba, exposição de 28 minutos; a última foi com filme cromo, com 30 minutos, numa pousada a 60km de Curitiba.
(se necessário, depois de carregar a imagem em tamanho grande, clique sobre ela para redimensionar)
Um abraço a todos!!


Filme negativo
ISO 400; f/5.6; F=50mm, T=40min


Filme cromo
ISO 100; f/8; F=50mm, T=28min


Filme cromo
ISO 400; f/5.6; F=50mm, T=20min
« Última modificação: 11 de Outubro de 2007, 12:58:09 por SimpleGuy »


LuizNdo

  • Trade Count: (0)
  • Colaborador(a)
  • ****
  • Mensagens: 4.407
  • Sexo: Masculino
  • Tente, invente.
Resposta #1 Online: 09 de Outubro de 2007, 22:49:38
Muito legais, SimpleGuy!
Sou fã de foto astronômicas e pretendo fazer minhas experiências com rastro de estrelas também. ;D
>> Belo Horizonte <<
Fotógrafo Entusiasta.
Sony P100
Canon 7D e XT + 18-55 mm + 75-300 mm USM III + Canon 50mm f1.8 + Sigma 10-20mm + Canon 100-400mm L IS + Adaptador de Telescópio!
Meu Flickr


Paulo Machado

  • Trade Count: (6)
  • Referência
  • *****
  • Mensagens: 5.015
  • Sexo: Masculino
Resposta #2 Online: 10 de Outubro de 2007, 08:02:29
Muito boas, adoro este tipo de foto.
Como voce calcula o tempo de exposição levando em conta a falha de reciprocidade?
When words become unclear, I shall focus with photographs. When images become inadequate, I shall be content with silent.  - Ansel Adams


SimpleGuy

  • Trade Count: (0)
  • Novato(a)
  • Mensagens: 21
  • Sexo: Masculino
    • As Belezas do Céu
Resposta #3 Online: 10 de Outubro de 2007, 12:58:05
Eu não calculo o tempo de exposição baseado na falha de reciprocidade, simplesmente estabeleço um tempo baseado no tamanho dos rastros que quero. Acredito que a falha de reciprocidade na realidade até ajuda esse tipo de foto, uma vez que ela não deixará o céu de fundo ficar muito claro, independente do tempo de exposição.


Francisco

  • Trade Count: (5)
  • Membro Ativo
  • ***
  • Mensagens: 1.550
Resposta #4 Online: 10 de Outubro de 2007, 16:03:11
Muito legais. Eu estava acostumado a ver esse tipo de foto com digital. Agora até me animei a fazer uma fotos em bulb com a minha F1 :P

A terceira está fantástica. Que aberturas você escolhe? Para deixar os rastros bem grandes, acredito que tenha que escolher a menor abertura possível e filme de iso baixo para não estourar tudo. Ou você nem ligou muito para isso?
Francisco Amorim
Porto Alegre - RS
2x Canon F1 Old, AE1; Pentax MX, K100D; Fuji Finepix f10; Panasonic LX3


Groba

  • Trade Count: (2)
  • Membro Ativo
  • ***
  • Mensagens: 1.725
  • Sexo: Masculino
  • Ouça o podcast sobre fotografia http://pip.fot.br
    • groba.me
Resposta #5 Online: 10 de Outubro de 2007, 16:12:21
Muito boas as fotos. Gostei muito da segunda e da terceira.
Fiz essa brincadeira com minha digital e sofri muito com o ruido. qualquer luz artificial influencia muito na foto.
Parabéns.

Vc usa abertura em f/4?


SimpleGuy

  • Trade Count: (0)
  • Novato(a)
  • Mensagens: 21
  • Sexo: Masculino
    • As Belezas do Céu
Resposta #6 Online: 11 de Outubro de 2007, 13:04:41
Olá pessoal!
Coloquei abaixo das fotos os dados de exposição. Eu normalmente uso f/5.6 ou 8 para esse tipo de foto. Aberturas maiores podem clarear demais o céu e não deixar a foto muito bonita. No caso da segunda foto havia alguma poluição luminosa pois eu estava perto de Curitiba, portanto usei uma abertura menor, assim como ISO menor.
Os rastros grossos da terceira foto foram realmente devido às estrelas brilhantes presentes na área (constelação de Órion, onde ficam as Três Marias). O rastro vermelho é devido a uma nebulosa e não a uma estrela (a Nebulosa de Órion). Em um filme negativo ou digital, esse rastro ficaria branco. A cor vermelha dessa nebulosa localiza-se no extremo vermelho do espectro (656 nanômetros) e somente cromos conseguem resposta nessa frequência.
Eu particularmente gosto muito de fotos de céu noturno com filme, mesmo considerando as vantagens da digital em se fazer bons tratamentos, estaqueamento, HDR...


Davi Sato

  • Trade Count: (2)
  • Colaborador(a)
  • ****
  • Mensagens: 4.036
  • Sexo: Masculino
    • Flickr
Resposta #7 Online: 11 de Outubro de 2007, 13:12:25
Muito legal!!! (tantos as fotos qto a explicação!!!)  ;D
Canon D80 / Pentax K10d / Sigma 28-70 f/2.8 / Pentax 18-55 / Pentax 50-200.
São Gotardo – MG


Francisco

  • Trade Count: (5)
  • Membro Ativo
  • ***
  • Mensagens: 1.550
Resposta #8 Online: 11 de Outubro de 2007, 14:54:19
Só para tirar uma dúvida... fazer uma longa exposição de 30min em F8 equivale a 15min em F5.6 ou 7,5min em F4, não? Como em paisagens normalmente há profundidade de campo de sobra, qualquer uma das abordagens produzirá resultados semelhantes, não?


Francisco Amorim
Porto Alegre - RS
2x Canon F1 Old, AE1; Pentax MX, K100D; Fuji Finepix f10; Panasonic LX3


Francisco

  • Trade Count: (5)
  • Membro Ativo
  • ***
  • Mensagens: 1.550
Resposta #9 Online: 11 de Outubro de 2007, 16:00:58
Complementando... semelhantes em relação à fotometria, a única coisa que muda é a extensão do rastro das estrelas, certo?
Francisco Amorim
Porto Alegre - RS
2x Canon F1 Old, AE1; Pentax MX, K100D; Fuji Finepix f10; Panasonic LX3


SimpleGuy

  • Trade Count: (0)
  • Novato(a)
  • Mensagens: 21
  • Sexo: Masculino
    • As Belezas do Céu
Resposta #10 Online: 11 de Outubro de 2007, 21:17:58
Olá Francisco! Haverá algumas pequenas diferenças entre as exposições ditas equivalentes. Quando você abre o diafragma e reduz o tempo de exposição, na verdade você faz engordar os rastros das estrelas fortes, e pode fazer aparecer rastros de estrelas bem fracas. Você, assim, enriquece o céu em número de estrelas, mas os rastros ficarão proporcionalmente mais curtos. Você pode até pensar assim: a quantidade de luz em um rastro será a mesma, de modo que no rastro menor (menos tempo com diafragma mais aberto), ele será mais forte.
E a falha de reciprocidade, comentada mais acima, também muda um pouco as coisas. Não é muito, inclusive nunca fiz um teste comparando exposições equivalentes com diferentes tempos, mas ocorre assim: suponha que você fotografe um cenário noturno (não precisa ser estrelas, um cenário qualquer) com 10s em f/8. Depois você faz 20s com f/5.6. A última foto, apesar da equivalência de exposições, ficará mais escura por causa da dita falha. A falha de reciprocidade é sentida em exposições maiores que 1s normalmente, e o próprio nome já diz: não há uma reciprocidade do filme (ou sensor digital) em longas exposições.


Ana Adams

  • Trade Count: (0)
  • Membro Ativo
  • ***
  • Mensagens: 1.653
  • Sexo: Feminino
    • http://www.anaadams.com
Resposta #11 Online: 11 de Outubro de 2007, 23:45:04
Puxa, essas fotos são lindas e me trouxeram de volta uma velha pergunta que tenho na minha cabeça... desculpem se é uma pergunta meio " burrinha" ...
Na primeira foto vemos que o movimento das estrelas desenham um trecho de circunferência em formato de "C" , simplificando. Já nas duas seguintes, o desenho dos rastros é o oposto... porque?  É pelo horário que foram tiradas ( movimento da terra ) ?
Ok, vamos a um exemplo prático... moro no hemisfério norte : se eu fôr fazer as mesmas fotos, nos mesmos horários que vc fez, vou conseguir que os rastros desenhem para o mesmo lado?
Acho fascinante a  astronomia, mas ainda estou no " baby class" !!!
()s
GuiGui


SimpleGuy

  • Trade Count: (0)
  • Novato(a)
  • Mensagens: 21
  • Sexo: Masculino
    • As Belezas do Céu
Resposta #12 Online: 14 de Outubro de 2007, 21:23:54
Olá Guigui!
Desculpe pela demora na resposta!!! Bom, sobre as curvas das estrelas, veja o seguinte: para nós o céu parece girar, e como tudo que gira tem que ter um eixo de rotação, o céu também parece ter. Nas fotos, esse eixo está no centro das curvas das estrelas. Ou seja, se em uma foto você vê os rastros na forma de "C", significa que o eixo passa pela direita da foto. Se eu fotografasse mais para a direita ainda, as curvas pareceriam invertidas.
A única diferença com o hemisfério norte é o fato de, para nós aqui no sul, as estrelas parecerem girar no sentido horário (quando olhamos para o eixo de rotação, ou o centro das curvas). Para vocês, no sentido anti-horário. Isso, em uma foto, não faz diferença...